Historial da Associação

Fundada a 3 de março de 1940, a ARMAB nasceu à sombra da Igreja para solenizar as cerimónias litúrgicas e animar as festas religiosas, sendo o seu grande impulsionador, o Padre Manuel Valente dos Santos Conde.

Os fundadores, todos infelizmente já desaparecidos, foram António Pires Ladeira, Serafim da Silva Batista, Manuel Pinto Perfeito, Manuel Vale Frias, Manuel José Marques Oliveira, António Almeida Oliveira e José Lopes da Silva.

Ao longo da sua existência, a ARMAB foi dirigida e apoiada por muitas pessoas de relevo na vida local, dos quais se destacam o já referido António Pires Ladeira, primeiro Presidente da Direção, António de Almeida Oliveira, que lhe sucedeu, e Gualdino Pereira Martins da Silva, que assumiu a revitalização da Banda em 1976 e dirigiu a Associação praticamente até ao seu falecimento, em 2004.

A associação teve um percurso de altos e baixos, como quase todas as do seu género. Todavia, desde os anos oitenta até aos nossos dias, a evolução foi sempre no sentido positivo e crescente, quer ao nível da formação musical, quer ao nível artístico, fruto, sobretudo, de uma mais adequada gestão das pessoas e dos meios disponíveis.

Nesta evolução, foi fundamental a contribuição do Maestro José Lourenço da Costa que, ao longo de treze anos conduziu os jovens e adultos com entusiasmo para fazer crescer a banda, dando uma importante contribuição na formação de um grupo de músicos, que vieram a ser decisivos na elevação do nível artístico. Este trabalho foi continuado pelo maestro Paulo Jorge Oliveira Nunes, que nos treze anos seguintes levou a banda a atingir um nível muito alto.

Fazem parte da estrutura da ARMAB a Banda Sinfónica, a Banda Filarmónica, a Academia de Música e a Orquestra Juvenil.